Mais amor, menos motor

ciclista

Com notícias tão tristes que beiram o inacreditável, nos resta pouco o que falar. Respeitemo-nos. Só isso.

A rua é de todos. E quando eu digo todo, refiro-me a pessoas. Estejam elas de carro, ônibus, moto, bicicleta, cadeira de rodas ou a pé. Somos todos seres humanos, frágeis e vulneráveis, mesmo quando aparentemente protegidos por armaduras potentes e igualmente destruidoras.

Por favor, nos respeitem. Assim como você, gente só quer chegar lá.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta