Uma conversa sobre coleta seletiva e o exemplo dos gringos

Ontem eu estava conversando com uma amiga que mora na Alemanha e ela me contou como funciona o sistema de coleta seletiva por lá. Realmente é uma realidade muito diferente (e distante) da nossa. Como estamos em plena Campanha Lixo Zero, pedi para ela compartilhar suas experiências com a gente. Olha o texto dela:

“Bom, como admiradora do Simplificando e do trabalho lindo de incentivo ao cuidado com o meio ambiente a partir de atos simples e importantíssimos, como deixar o carro na garagem e optar pela bike, ou separar o lixo em casa, resolvi compartilhar com vocês um pouquinho da vida organizada e ‘amiga da natureza’ aqui na Alemanha, mais precisamente em Erlangen, na Bavária, onde vivo.  
img1
A casinha na foto é encontrada em todos os bairros da cidade, todo prédio possui uma casinha assim, ela é fechada e cada morador possui uma chave. Isso foi feito para evitar que fosse jogado muito lixo em um mesmo lugar. Dentro desse ambiente você encontra quatro containers: o amarelo, que é só para plástico; o azul que é para papel; o verde para o lixo orgânico; e o preto, que serve para o lixo não reaproveitável. 
img2
Lixo aqui é coisa séria, e que bom que é! Então, seguindo essa linha, apresento os recipientes direcionados para o metal e vidros, que são divididos exatamente assim: o primeiro para metal velho; o segundo para vidros mais escuros, marrons; o terceiro para vidros com a cor esverdeada; e o último para os vidros brancos. 
img3
E como reciclagem e meio ambiente também têm tudo a ver com generosidade e doação, os alemães se preocuparam em pôr containers em pontos estratégicos para roupas e sapatos velhos, que são encaminhados depois para os países menos desenvolvidos. 
img4
Então, fico por aqui e espero ter ajudado um pouquinho com a experiência do lado de cá.”
:)
Maria Guadalupe

 

Não é querendo desmerecer nosso país, nem supervalorizar os gringos, mas é fato que nos falta muita educação e estrutura para chegarmos ao nível de reciclagem que existe em outros países.

Aqui mesmo no EcoD, há tempos procuramos uma ONG ou cooperativa disponível que possa recolher os resíduos que separamos na Redação, até hoje sem sucesso. Infelizmente a nossa prefeitura não realiza esse tipo de coleta e é muito comum ver pessoas que fazem o maior esforço para separar corretamente seus resíduos sem saber que eles serão misturados ao lixo comum assim que o caminhão da coleta passar.

Tenho muita esperança de que com a Política Nacional de Resíduos Sólidos e o combo “educação + cobrança da sociedade” essa realidade possa mudar. E para quem quer saber mais sobre o assunto e ainda não conhece a Campanha Lixo Zero, eu recomendo dar uma navegada na página e conhecer um pouco mais dos processos e impactos do descarte de cada tipo de resíduo

Comentários

comentários

Deixe uma resposta